segunda-feira, 20 de maio de 2013

Seca limita festas de São João na Paraíba às grandes cidades



Maior São João do Mundo deve gerar 10 mil empregos
Maior São João do Mundo deve gerar 10 mil empregos
Com orçamentos que juntos ultrapassam os R$ 13,8 milhões, as principais festas juninas realizadas do Litoral ao Sertão da Paraíba deverão movimentar mais de R$ 35,5 milhões na economia do Estado. Apesar das cifras elevadas, boa parte dos municípios do semi-árido paraibano decidiu cortar os gastos e cancelar as festas juninas por causa da seca que assola a região.
A realidade é diferente nos maiores municípios do Estado, que contam com o apoio da iniciativa privada. Os festejos de João Pessoa, Campina Grande, Monteiro, Patos e Sousa vão gerar aproximadamente 20 mil empregos diretos e indiretos. Somente em Campina, o ‘Maior São João do Mundo’, que acontece de 07 de junho a 07 de julho, espera arrecadar R$ 25 milhões em renda para a economia local, aumentando em até 15% as vendas no comércio, segundo uma estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).
Orçada em R$ 8 milhões (maior parte sendo de patrocinadores), a prefeitura de Campina informou que o evento deve gerar até 10 mil empregos diretos e indiretos. “Essa festa aquece o comércio local e esperamos um aumento de até 15% nas vendas em comparativo ao mês de junho do ano passado. A venda de roupas, calçados e eletrodomésticos lideram o ranking de procura dos consumidores não é difícil encontrar estabelecimentos onde as vendas crescem até 80%”, declarou o presidente da CDL-CG, Tito Motta.
Em João Pessoa, onde serão investidos R$ 2,7 milhões nas comemorações juninas (de 21 a 29 de junho), a CDL espera um crescimento de 10% no comércio, que também será impulsionado pelo Dia dos Namorados. Para motivas os consumidores, uma das estratégias é recorrer à ornamentação dos estabelecimentos em alusão às duas datas. “Estamos trabalhando junto aos comerciantes para que façam a ornamentação das lojas para motivar ainda mais os consumidores. Festas como o São João são boas para todos os segmentos da economia, mas especialmente para as empresas que trabalham com vestuário e alimentação, além da rede hoteleira”, avaliou o presidente da CDL-JP, Eronaldo Maia.
No Cariri, a cidade de Monteiro polariza outros 10 municípios e espera reunir até 100 mil pessoas de 23 a 27 de junho. Com orçamento de R$ 150 mil, a programação conta com dez artistas. A Secretaria de Turismo da cidade estima que 800 empregos diretos e indiretos sejam gerados durante o evento, que deverá movimentar mais de R$ 500 mil em negócios.
No Sertão paraibano, as atenções são voltadas para as festa do São João de Patos (considerada a segunda maior do Estado) e de Sousa. Na ‘Morada do Sol’ o evento está orçado em R$ 2 milhões, via captação de recursos da Lei Rouanet e auxílio da iniciativa privada. O evento será aberto no ‘Terreiro do Forró’ no dia 19 de junho e se encerra no dia 23 do mesmo mês. A previsão é de que o evento movimente aproximadamente R$ 8 milhões e gere uma média de 3,5 mil empregos diretos e indiretos. Serão 25 atrações, entre elas Chiclete com Banana e Bruno e Marrone que apresentarão mais de 40 horas de shows. A expectativa é de que mais de 500 mil forrozeiros visitem o local.
Em Sousa, a festa orçada em R$ 1 milhão reúne 16 atrações musicais, entre elas a dupla Cesar Menotti e Fabiano. Serão 40 horas de animação que terão início a partir do dia 20 de junho. Até o encerramento da festa, no dia 23 de junho, a organização espera receber 150 mil pessoas. “Esperamos que o evento movimente até R$ 2 milhões. Em média a festa emprega diretamente mil pessoas, até as datas dos shows, mas indiretamente chega a três mil empregos”, informou Harlinho Marques, secretário de Turismo do município.
No Agreste, o destaque é a 30º edição do Maior São João do Mundo, em Campina Grande. O desafio dos foliões é encarar as 1,2 mil horas de forró através das 110 apresentações musicais agendadas para o Arraial Hilton Motta, o palco principal do Parque do Povo. Entre as atrações estão o cantor Gilberto Gil, a paraibana Elba Ramalho, Fagner, Zé Ramalho e as bandas de forró estilizado Aviões do Forró e Garota Safada. As famosas ‘ilhas de forró’ serão animadas nos 30 dias de festas por mais de 120 trios.
Santa Luzia sem verbas
O município de Santa Luzia, onde a festa junina completa 70 anos de tradição, os festejos não estão confirmados por falta de verbas. De acordo com o planejamento inicial, a festa deveria ter cinco dias de programação com 40 horas de shows em praça pública, comandado por 14 atrações.
“Na realidade o São João está sendo viabilizado ainda, o município não tem como fazer a festa. Será algo muito pequeno e a maior atração terá um cachê máximo de R$ 20 mil. Estamos enfrentando muitas dificuldades e a cidade não tem condições de fazer a festa sozinha”, disse o prefeito José Ademir Pereira de Morais.
Outras cidades que mantém a tradição dos festejos juninos, como Solânea, Taperoá, Cajazeiras e Esperança, não fizeram a divulgação das atrações ou confirmaram a realização das festas.
O prefeito de Ouro Velho, Inácio Júnior, também suspendeu a festa de São João do município. O cancelamento se deu por conta da seca que atinge todo o município e região. O município decretou estado de emergência em razão da escassez de chuva. Agricultores já chegaram a vender mais de 60% do rebanho de bovinos, caprinos e ovinos. A festa do São João de Ouro Velho aconteceria nos dias 15,16 e 17 de junho em praça pública e tinha como uma das atrações o cantor Alcymar Monteiro.
Por Jornal Correio da Paraíba
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Fernando Lúcio: E-mail: donainesonline@hotmail.com. Tecnologia do Blogger.