terça-feira, 17 de setembro de 2013

Policia prende quadrilha interestadual de tráfico de drogas, homicídios e vários crimes












Foi deflagrado na tarde de hoje (17.09.2013), a OPERAÇÃO VULCANO, pela Secretaria de Administração Penitenciária, Polícia Militar e Polícia Civil, no Jardim Guaíba, Bairro dos Funcionários.
As investigações começaram há cerca de 01 mês, quando a Gerência de Inteligência da Secretaria de Administração Penitenciária, recebeu uma informação de um presidiário custodiado no Presídio Romeu Abrantes (PB01/PB02), dando conta que uma quadrilha interestadual de trafico de drogas, explosões bancárias e homicídios, estava assolando a grande João Pessoa com ramificações na cidade de Campina Grande, local que fornecia os explosivos.
Após levantamentos da GEPLASI/SEAP, os apenados foragidos ALISSON COSTA FARIAS, vulgo “COSTELINHA” e DIEGO HENRIQUE PEREIRA DA SILVA.
Segundo o denunciante estaria vindo da cidade de Campina Grande um casal, até então não identificado, trazendo consigo material explosivo e armamentos para utilização em práticas criminosas (estouros a Caixas Eletrônicos).
Diante dos informes, esta Agência de Inteligência da SEAP com a autorização do Secretário da Pasta Wallber Virgolino, em conjunto com a Agência de Inteligência da PM-PB realizou uma operação de Inteligência no sentido de identificar e constatar tais denúncias.
Desta forma, foi realizada uma vigilância num terminal rodoviário de João Pessoa, detectando-se que, por volta das 15h chegaram oriundos da cidade de Campina Grande duas pessoas com as características repassadas pelo denunciante, que podem ser conferidas em vídeos e fotografias em anexo.
Os suspeitos foram acompanhados por agentes de ambas as agências ao destino final. Foi constatado que eles desembarcaram no terminal final de ônibus no bairro dos Funcionários I, precisamente no Jardim Guaíba. A posteriori, estes dois indivíduos foram recepcionados por possíveis traficantes da área. Dentre aqueles que os recepcionaram, a GEPLASI identificou o apenado foragido, Diego Henrique Pereira da Silva, vulgo TOTÓ, o que corrobora com aquilo apresentado pelo denunciante (FOCO DA DENÚNCIA). Este ainda afirmou que outro foragido se encontrava no destino, qual seja: Alisson da Costa Farias, vulgo “COSTELINHA”, foragido que já vinha sendo investigado pela SEAP.
Diante das circunstâncias investigativas foram difundidas as informações com a Delegacia de Roubos e Furtos da Capital e com o Comando Geral da PM, deflagrando-se a OPERAÇÃO VULCANO.
Participaram da operação cerca de 50 policiais: Agentes Penitenciários do GPOE, BOMPE/PM e Delegacia de Roubos e Furtos da Capital.
A OPERAÇÃO VULCANO - referi-se a “FÚRIA DE VULCANO EM POMPÉIA”, época em que os moradores da localidade nunca souberam o que os atingiu, entretanto nunca se esqueceram de seu impacto. Além disto, faz menção ao Deus Romano do Fogo, da metalurgia e dar erupções vulcânica.

Assessoria 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Fernando Lúcio: E-mail: donainesonline@hotmail.com. Tecnologia do Blogger.