quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Seca revela ruínas de cidade inundada há 76 anos por barragem no Sertão da Paraíba



A cidade, identificada como Piranhas Velha, era a antiga sede do município de São José de Piranhas que acabou submersa no ano de 1936 pelas águas do reservatório


Seca revela ruínas de cidade inundada há 76 anos por barragem no Sertão da Paraíba
O prolongamento da estiagem na Paraíba fez aparecer uma cidade que foi submersa no século passado, após a construção da barragem Engenheiro Ávidos, conhecida como açude de Boqueirão, no município de Cajazeiras (localizado a 476 quilômetros de João Pessoa, no Alto Sertão da Paraíba). As ruínas do que sobrou da pequena cidade virou atração turística para muitos moradores locais, que só ouviam falar que ali haviam casas submersas. 

A pequena cidade, identificada como Piranhas Velha, era a antiga sede do município de São José de Piranhas que acabou inundada no ano de 1936 pelas águas do reservatório que foi construído para abastecer a região. Uma nova sede para a cidade foi construída ao sul da barragem, que é o terceiro maior reservatório do Estado com capacidade para acumular 255 milhões de metros cúbicos de água.

A seca que assola o Estado, considerada a pior dos últimos 30 anos, fez o volume de água do Engenheiro Ávidos chegar a níveis baixíssimos, que não chegam a atingir 18,2% de sua capacidade, com apenas 46 milhões de metros cúbicos, conforme dados a Agência Estadual das Águas (Aesa). 
Engenheiro Ávidos chegou ao seu menor nível das últimas décadas, revelando uma pequena cidade que havia sido inundada há 76 anos. O agricultor conhecido como Chico Miúdo, de 71 anos, que nasceu e se criou na cidade de São José de Piranhas, conta que seus pais fizeram parte do contingente que teve que deixar a antiga cidade.
Foto: Chico Miúdo
Após 76 anos submersa e e reaparecendo somente quando acontecem período prolongados de estiagem como agora, a história da cidade é revivida, através das ruínas. Ainda de pé, um túmulo revela a localização do cermitério da cidade.  Em épocas de cheia, o local é preferido pelos pescadores, como conta seu Chico Miúdo.

A igreja católica ainda pode ser identificada através das ruínas das torres que mais parecem pequenas pirâmides. Sem medo de errar, seu Chico identifica cada ponto onde funcionavam o coreto, a praça, a cadeia e a igreja. Todos reaparecidos e identificados pelas histórias contadas pelos antepassados dele. 

Até as diferenças sociais foram lembradas por seu Chico que identifica com precisão onde ficavam os locais conhecidos à época como a rua dos ricos e a rua dos pobres."Das casas ricas ainda ficaram as ruínas como podemos ver porque eram melhor construídas", mostra o agricultor, mas das casas dos pobres, como eram precárias apenas escombros as identificam, conforme o agricultor.

Veja vídeo feito durante visita às ruínas da Piranhas Velha: 

Mais conhecido como Boqueirão, o açude está localizado na antiga sede do município de São José de Piranhas, que ficou alagado e a cidade foi reconstruída um pouco ao sul. É o terceiro maior açude do estado da Paraíba, com capacidade para 255 milhões de metros cúbicos de água.
Em volume, Engenheiro Ávidos só perde para os dois mananciais que formam o complexo Coremas/Mãe d´Água. O açude de Coremas, da cidade do mesmo nome, tem 720 milhões de metros cúbicos. Já o de Mãe d'Água tem capacidade de 638,7 milhões de metros cúbicos. 
O nome é homenagem ao engenheiro chefe da obra que veio a falecer pouco antes do seu término, que foi em 1936. O açude abastece a cidade de Cajazeiras e parte do perímetro irrigado de São Gonçalo (Sousa).

Por Portal correio
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Fernando Lúcio: E-mail: donainesonline@hotmail.com. Tecnologia do Blogger.